16 janeiro 2014

Juros dos Bilhetes do Tesouro a um ano caem para mínimos de 2009

Os custos dos empréstimos em Portugal de um ano caíram aos níveis mais baixos desde o final de 2009, muito antes de meados de 2011 - dato do início do socorro do país.

O leilão, em que a agência de dívida IGCP vendeu todos os € 1.250.000.000 a 3 meses - e bilhetes do tesouro a 12 meses em oferta, desde que as novas provas que Portugal está a recuperar a confiança dos investidores, e se prepara para deixar o resgate financeiro para trás e como a sua economia se irá recuperar gradualmente a partir da sua pior recessão desde os anos 1970.

O Leilão do Tesouro de hoje, no qual o BCP participou, foi mais um passo neste processo, apesar de, na semana passada a reabertura aos empréstimos obrigacionistas, constituiu um sinal muito mais forte de todos os progressos realizados até agora.

Portugal vendeu os seus primeiros títulos do ano na semana passada, marcando um passo importante na preparação do terreno para Lisboa para voltar a financiar-se plenamente nos mercados de obrigações após o término do resgate em meados de 2014.

O IGCP também já afirmou que pretende retomar os leilões de títulos no primeiro semestre de 2014.

Os rendimentos de títulos em Portugal apresentam tendência de queda, impulsionados pelo crescente otimismo da diminuição da crise na zona euro e que Lisboa pode ser capaz de sair do resgate sem problemas até meados de 2014, conforme previsto.

O IGCP emitiu € 240.000.000 a 3 meses e 1,01 bilhões de euros em notas de 12 meses no leilão. A procura superou a quantidade colocada por 4,71 vezes em títulos a 3 meses e 2,26 vezes na maturidade mais longa, disse que o IGCP.

Sem comentários: