25 setembro 2012

Agora sem TSU mas com IRS agravado?

O choque nas contas das empresas e particulares com a descida da contribuição para as empresas e a subida para os trabalhadores dependentes não agradou a ninguém.

A queda drástica do IVA

O IVA e outros impostos sobre o consumo sofreram uma redução drástica (5,3%) nos primeiros oito meses do ano no que respeita a receita.

O mais importante dos impostos indiretos é o IVA o qual representa quase metade do total da receita fiscal.

A redução do consumo explica as quebras, caso dos bens duradouros, sobretudo o setor automovel.

A receita do ISP caiu cerca de 7,6% em termos homólogos, o imposto do tabaco reduziu 11%.

Objetivos
- compensar uma devolução parcial dos subsidios de Natal e férias ao setor publico e pensionistas
- compensação pela nao alteração da TSU

Medidas compensatorias
- aumento de impostos, excluindo o IVA (IRS ?)
- possivel aumento em 30% dos impostos sobre o tabaco
- mais tributação sobre o capital e património
- possível descida seletiva da TSU para empresas exportadoras e talvez para o turismo

Sem comentários: